CARTA NÃO ENVIADA


Quando você precisar, pode me ligar a hora que quiser. O dia que quiser. Sinto sua falta. Ao menos mande alguma notícia, caso esteja viva. Até porque se estiver morta não vai ler isso. Mas enfim, acho que você está viva E, porra, sua vadia, sei que já deve estar dando para aquele seu primo do quartel, que até viado é. Sempre soube que tu foi... foi... ah, nem sei o que dizer. Cadela desgraçada. Quer saber, nem precisa me responder. Vai para os quintos dos infernos e espero que s...

A porta do quarto abriu. Era Lisa.
- Surpresa – falou vindo em minha direção.
Me levantei e desliguei o monitor do computador para ela não ver a carta que eu estava escrevendo.
- Nossa. Por onde você andou, gata? – perguntei, disfarçando uma naturalidade.
- Olha isso.
Me mostrou um cheque mais gordo do que toda minha vida profissional. Havia ganhado um tal concurso de moda que eu tinha até esquecido que estava participando, e já tinha viagens marcadas por toda a Europa. E quis me fazer uma surpresa me levando junto com tudo pago, além de um convite de casamento, que eu aceitei.
- Vamos comemorar – falei e a tirei do quarto –, escolhe um vinho e coloca um disco da Aretha para nós, baby.
Enquanto ela foi abrir a garrafa, deletei meu texto. Desliguei o computador e fui dançar com ela no meio da sala.

Nenhum comentário: